REGULAMENTO PARTICULAR

 

ARTIGO 1. ORGANIZAÇÃO

A prova 28ª Volta a Portugal do Futuro  é organizada pela PODIUM Events Sa – Avª Eng. Duarte Pacheco, nº19 - 6 Dto, 1070-100 Lisboa de acordo com os regulamentos da UVP-Federação Portuguesa de Ciclismo. Disputa-se de 8 a 11 Julho 2021.

 

 

ARTIGO 2. TIPO DE PROVA

A prova é reservada a atletas da categoria Sub23 e está inscrita no calendário Nacional da UVP-FPC. A prova pertence à classe 13.

 

 

ARTIGO 3. PARTICIPAÇÃO

De acordo com o regulamento da UVP-FPC, a prova é aberta às seguintes equipas: 

- Equipas Continentais Profissionais do País do Organizador; 

- Equipas Continentais UCI do País;

- Equipas de Clube;

- Seleções Nacionais e Regionais;

- Equipas Mistas (legislação UVP/FPC);

- Apenas as Seleções Nacionais podem integrar corredores de uma equipa registrada na UCI, quando correm fora da sua equipa;

- Máximo de 3 equipas estrangeiras: Equipas de Clube, Seleções Nacionais e Regionais;

 

O número de corredores por equipa é limitado a um mínimo de 5 e um máximo de 7.

 

As Equipas de Clube que não tenham corredores suficientes para participar, podem formar equipas mistas, tendo a equipa a denominação das suas equipas de origem desde que as mesmas não participem na prova e os corredores terão de utilizar a camisola da equipa que os recebe.

 

As equipas mistas têm de pedir autorização de participação numa prova à UVP-FPC, através do respetivo formulário, indicando a composição da equipa e os elementos técnicos presentes na prova, bem como o elemento responsável.

 

ARTIGO 4. ATIVIDADES PRELIMINARES À PARTIDA E SECRETARIADOS DA PROVA

 

A inscrição dos corredores e staff das equipas deverá ser realizada através dos respetivos formulários enviados pelo Organizador, no prazo regulamentar. As equipas deverão enviar o boletim das 72h onde constam os corredores efetivos e os dois suplentes, bem como todos os elementos do staff. 

 

A confirmação dos participantes (atletas e staff das equipas) realiza-se através do email josecarmona@martpro.pt  / teresa.ribeiro@podi1.com  no dia 7 de julho das 9h00 às 13h00.  

 

Não existirá verificação de licenças nem confirmação de participantes no local da prova. 

 

Toda a informação detalhada sobre a prova deverá ser enviada antecipadamente por email para todos os credenciados, evitando assim procedimentos presenciais que impliquem contacto físico.

 

A reunião entre a Direção da Organização e todos os membros do Colégio de Comissários realiza-se via Vídeo Conferencia, dia 7 de julho às 16h00. 

 

A reunião dos Diretores Desportivos juntamente com o Colégio de Comissários será realizada via Vídeo Conferencia no dia 7 julho às 17h00. Será enviado para o email de cada participante o link de acesso.

A reunião terá a participação dos seguintes elementos: um Diretor Desportivo por equipa; o Presidente do Colégio de Comissários; o Diretor da Organização; o Médico Coordenador da prova; o Comandante das Forças de Segurança da prova.

 

 

O Briefing de Segurança realiza-se no local da partida da 1ª Etapa, em Águeda no dia 8 julho às 10h50. 

 

O briefing de segurança terá a presença dos seguintes elementos: o Diretor da Organização, o Presidente do Colégio de Comissários, o Comandante das Forças de Segurança, o Responsável das Motos Bandeira Amarela, o Responsável dos motoristas e motards, o Responsável da TV e o Médico Coordenador.

 

Toda a informação detalhada deverá ser enviada antecipadamente por email para os intervenientes nas reuniões. 

 

A credenciação de todos os elementos será efetuada online pelo organizador da prova.

 

A entrega da documentação da corrida e dos materiais técnicos realiza-se no dia da 1ª etapa, à entrada da Zona 0, no horário de abertura do PPO.

A entrega dos materiais técnicos será efetuada através de envelope encerrado e entregue de forma intransmissível por elemento do staff organização aos credenciados.

Cada equipa deverá destacar apenas um elemento, o diretor desportivo, para rececionar o respetivo envelope.

 

No decorrer da prova serão criados grupos de Whatsapp para uma comunicação mais direta com as várias famílias de credenciados e seus coordenadores.

 

O secretariado da partida funcionará no acesso à Zona 0 e no acesso à Zona 1, respetivamente para os elementos de cada zona. Os horários serão os de funcionamentos das portas das referidas zonas indicados no descritivo do percurso de cada etapa.

 

Não existirá secretariado à chegada das etapas para distribuição de comunicados nem credenciação, apenas salas de trabalho para organização e comunicação social. 

 

As classificações e o comunicado da prova serão enviados por email e/ou disponibilizados online. A versão em papel e os números dos carros de apoio serão distribuídos no secretariado da partida do dia seguinte. Dorsais ou placas de quadro suplentes deverão ser solicitadas pelo diretor desportivo no grupo de Whatsapp antes do horário da abertura da Zona 0.

 

ARTIGO 5: CONTRARRELÓGIO 

 

1) BICICLETA

Para a 5ª etapa (C/R) é autorizada a utilização de uma bicicleta específica.

 

2) ORDEM DE PARTIDA NO CONTRARRELÓGIO

No contrarrelógio individual (5ª etapa), as partidas serão dadas de minuto em minuto, pela ordem inversa da classificação geral, após a 4ª etapa. Devendo os corredores apresentarem-se 15 minutos antes da sua hora de partida para controlo de bicicleta.

No entanto, o Colégio de Comissários pode modificar essa ordem de forma a evitar que dois corredores da mesma equipa partam seguidos.

 

 

ARTIGO 6. RÁDIO-VOLTA

As informações da corrida são transmitidas na frequência 160.2375 Mhz.

 

 

ARTIGO 7. ASSISTÊNCIA TÉCNICA NEUTRA

O serviço de assistência técnica neutra é assegurado pela Podium Events, SA.

 

O serviço é assegurado por 2 carros de apoio neutro.

 

ARTIGO 8. CHEGADAS EM MONTANHA (REGRA DOS 3 ÚLTIMOS KM)

Aplicam-se os artigos 2.6.027 e 2.6.028 do Regulamento UCI em todas as etapas, exceto na 2ª e 5ª etapa (CRI).

 

 

ARTIGO 9. PERCENTAGEM DE FECHO DE CONTROLO

De acordo com as características das etapas, as percentagens de fecho de controlo são fixadas da seguinte forma:

1ª etapa: 20%

2ª etapa: 20%

3ª etapa: 20%

4ª etapa: 30%

5ª etapa: 30%

 

As situações de exceção, imprevisíveis e de força maior, o Colégio de Comissários pode aumentar as percentagens de fecho de controlo depois de consultar o Organizador.

Os corredores que sejam repescados pelo Colégio de Comissarios, ser-lhes-á retirado, na classificação geral por pontos, o número de pontos atribuido ao vencedor da etapa, ainda que esse facto implique que sua a pontuação se torne negativa.

 

 

ARTIGO 10. CLASSIFICAÇÕES 

São estabelecidas as seguintes classificações:

 

1) Classificação Geral Individual por Tempos – Camisola Amarela 

2) Classificação Geral por Pontos – Camisola Branca 

3) Classificação Geral da Montanha – Camisola Castanha

4) Classificação Geral da Juventude – Camisola Laranja

5) Classificação Geral por Equipas

 

 

1) Classificação Geral Individual por Tempos

Obtém-se através da soma dos tempos conseguidos em todas as etapas por cada corredor, tendo em conta as bonificações e penalizações, sendo melhor classificado o que menor tempo totalizar.

 

Em caso de empate, o desempate é feito tendo em conta a soma dos pontos obtidos em cada etapa, sendo melhor classificado o que tenha totalizado menor número de pontos. Estes pontos são atribuídos de acordo com os lugares conseguidos: um ponto ao primeiro, dois pontos ao segundo, três pontos ao terceiro, e assim sucessivamente.

 

Se o empate ainda persistir, beneficiará o corredor melhor classificado na última etapa.

 

O líder da classificação é portador da camisola amarela.

 

 

2) Classificação da Montanha

A Classificação da Montanha disputa-se num conjunto de 12 contagens do prémio de montanha, pontuáveis para esta classificação.

 

É atribuída a seguinte pontuação:

 

 

Lugar                     Pontos

 

     PM 2ª         PM 3ª        PM 4ª    

 

1º        10        5          3    

2º        8        3          2    

3º        6        2          1    

4º        4        1

5º        2

6º        1

 

 

A Classificação Geral da Montanha é estabelecida pela soma dos pontos obtidos no conjunto das contagens de montanha. 

O líder desta classificação é portador da camisola Castanha.

 

De acordo com o artigo 2.6.017 do Regulamento UCI, em caso de empate na classificação geral da montanha, utilizam-se os seguintes critérios de desempate:

 

1. Número de primeiros lugares nas contagens de montanha de categoria mais elevada;

2. Número de primeiros lugares nas contagens de montanha de categoria imediatamente inferior, e assim sucessivamente;

3. Classificação geral individual por tempos.

 

Para beneficiar dos prémios da classificação geral final, o corredor deverá ter percorrido a totalidade do percurso da prova dentro do tempo regulamentar.

 

 

3) Classificação por Pontos

A Classificação por Pontos é estabelecida pela soma dos pontos obtidos em cada uma das etapas e nas Metas Volantes.

 

É atribuída a seguinte pontuação em cada uma das 3 Metas Volantes:

3 – 2 e 1 pontos aos 3 primeiros classificados.

 

Nas chegadas das etapas:

25 – 20 – 16 – 13 – 10 – 8 – 6 – 4 – 2 e 1 pontos aos 10 primeiros classificados.

 

Se numa chegada se verificar que vários corredores são classificados ex-aequo, é atribuída a cada um a pontuação correspondente ao primeiro lugar em que se inicia o ex-aequo.

 

O líder desta classificação é portador da camisola Branca.

 

De acordo com o artigo 2.6.017 do Regulamento, em caso de empate na classificação geral por pontos, utilizam-se os seguintes critérios de desempate:

1. Numero de vitorias nas etapas,

2. Numero de vitorias nos sprints intermédios que contam para a classificação geral por pontos,

3. Classificação geral individual por tempos.

 

Para beneficiar dos prémios da classificação geral final, o corredor deverá ter percorrido a totalidade do percurso da prova dentro do tempo regulamentar.

 

 

4) Classificação da Juventude

A Classificação da Juventude é reservada aos corredores nascidos a partir de 1 de Janeiro de 1998, de acordo com a Classificação Geral Individual por Tempos.

 

O líder da classificação é portador da camisola Laranja.

 

 

5) Classificação por Equipas

De acordo com o artigo 2.6.016 do Regulamento, a Classificação por Equipas na Etapa obtém-se pela soma dos três melhores tempos individuais de cada equipa. Em caso de empate, as equipas são desempatadas pela soma dos lugares obtidos pelos seus três primeiros corredores da etapa. Em caso de novo empate, as equipas são desempatadas pelo lugar do seu melhor corredor na classificação da etapa.

 

A Classificação Geral por Equipas obtém-se pela soma dos três melhores tempos individuais de cada equipa em todas as etapas disputadas. Em caso de empate, utilizam-se os seguintes critérios de desempate:

 

1. Número de primeiros lugares na classificação por equipas nas etapas,

2. Número de segundos lugares na classificação por equipas nas etapas,

etc.

 

Se persistir o empate, as equipas são desempatadas pelo lugar do seu melhor corredor na classificação geral individual.

 

Uma equipa que fique reduzida a menos de três corredores é eliminada da classificação geral por equipas.

 

 

ARTIGO 11. PRÉMIOS

São atribuídos os seguintes prémios:

 

 

1°) CLASSIFICAÇÃO DAS ETAPAS E CLASSIFICAÇÃO GERAL INDIVIDUAL POR TEMPOS

 

Classificação da Etapa           Classificação Meia-Etapa                              Classificação Geral Individual

 

1º           € 160                       1º           € 112                1º       € 432

2º            € 100            2º       €  70                2º      € 270

3º           €  85             3º        €  59,5                3º       € 229,5

4º            €  70            4º        €  49                4º       € 189

5º           €  50            5º       €  35                5º      € 135

6º            €  40            6º       € 28                6º       € 108

7º            €  30            7º       € 21                7º       €  81

8º            €  25            8º        € 17,5                8º        €  67,5

9º            €  20            9º        € 14                9º        €  54

10º …          €  20            10º       € 14                10º              € 54

 

 

 

 

 

 

 

 

2°) CLASSIFICAÇÃO POR PONTOS

 

Classificação Geral por Pontos

1º            € 300

 

3°) CLASSIFICAÇÃO DA MONTANHA

 

Classificação Geral da Montanha

 

1º             € 300

 

 

 

4°) CLASSIFICAÇÃO GERAL DA JUVENTUDE

 

Classificação Geral da Juventude

 

1º             € 300

 

 

5°) CLASSIFICAÇÃO POR EQUIPAS

 

Classificação Geral por Equipas

 

1ª            Troféu                    

 

 

O total geral dos prémios distribuídos na prova é de € 5 760,00.

 

ARTIGO 12. ANTIDOPAGEM

O regulamento antidopagem da FPC plica-se integralmente nesta prova. 

 

O controlo anti-doping realiza-se em todas as etapas: instalações junto à linha de chegada

 

ARTIGO 13. CERIMÓNIA PROTOCOLAR

De acordo com o artigo 1.2.112 do regulamento UCI, os seguintes corredores devem apresentar-se diariamente na cerimónia protocolar:

 

 O vencedor da etapa

 O líder da classificação Geral Individual por Tempos

 Os líderes das seguintes classificações secundárias: Geral por Pontos, Geral da Montanha, Geral da Juventude

 

Devem apresentar-se, regra geral, no prazo máximo de 15 minutos após a sua chegada. No caso de algum dos líderes das camisolas chegar atrasado, este deve dirigir-se imediatamente para o pódio após a sua chegada.

 

Além disso, no final da prova, deve ainda apresentar-se na cerimónia protocolar:

 

- Os três primeiros da Classificação Geral Individual

- A equipa vencedora da Classificação Geral por Equipas (corredores e DD)

 

 

Camisolas de líder

O líder de cada classificação deverá envergar a camisola símbolo respectiva. Se um corredor for líder de várias classificações, a ordem de prioridade das camisolas é a seguinte: 

1) Classificação Geral Individual por Tempos – Amarela

2) Classificação Geral por Pontos – Branca

3) Classificação Geral da Montanha – Castanha Delta

4) Classificação Geral da Juventude – Laranja 

 

Se um corredor for líder de várias classificações, enverga apenas uma camisola de acordo com a ordem de prioridade acima indicada, neste caso, a outra camisola é envergada pelo corredor seguinte dessa classificação, excepto se este for líder de outra classificação ou se tiver que envergar a camisola de Campeão do Mundo ou de Campeão Nacional ou a camisola de líder de uma Taça, de um Circuito, de uma Série ou de um Ranking UCI.

 

Protocolo à partida das etapas em linha

Os portadores das camisolas de líder deverão alinhar na frente.

 

ARTIGO 14. APRESENTAÇÃO DAS EQUIPAS E ASSINATURA DA FOLHA E PARTIDA (EM TODAS AS ETAPAS)

A assinatura da folha de partida não será realizada, a confirmação de alinhar à partida será validada através de verificação visual por um comissário;

 

 

ARTIGO 15. PENALIDADES

Aplicação exclusiva da Tabela de Penalidades do regulamento da UVP-FPC.

 

 

ARTIGO 16. AUTORIZAÇÃO DE PUBLICIDADE DAS EQUIPAS

É proibido às Marcas Comerciais Patrocinadoras das Equipas e dos corredores participantes ter qualquer tipo de publicidade sem autorização prévia por escrito do Organizador da Prova. Em caso de incumprimento deste artigo, a Equipa prejudicada pela sua Patrocinadora, poderá ser penalizada, por direitos de publicidade indevida, com a possível expulsão da equipa da Prova.

 

 

ARTIGO 17. SEGUROS

De acordo com as disposições previstas no Regulamento, todos os corredores e pessoal técnico das Equipas devem estar assegurados contra todos os acidentes que possam ocorrer durante a prova e suas consequências em matéria de Responsabilidade Civil. 

O Organizador não tem qualquer responsabilidade pelos danos causados a terceiros e/ou materiais antes, durante e depois das etapas, sempre e quando cumpra com as regras de segurança estabelecidas no Regulamento Desportivo da UCI (1.2.061, 2.2.015). Atendendo ao art. 1.2.034 o Organizador é obrigado a fazer um seguro para a cobertura de riscos relacionados com a organização da prova.

 

 

ARTIGO 18. ECOLOGIA

A organização da 28ª Volta a Portugal do Futuro, na salvaguarda dos bons princípios de proteção ambiental, e de promoção do ciclismo ecológico apela aos diversos intervenientes, no evento, no sentido de reforçar a adoção de medidas que permitam a manutenção da limpeza dos locais de partida, chegada e percursos da prova.

Os corredores deverão utilizar as Zonas de descarte de resíduos, aproximadamente 30 em 30 kms, e nos últimos 10kms antes da meta

 

ARTIGO 19. ADAPTAÇÕES REGULAMENTARES ESPECIFICAS NO CONTEXTO COVID-19

 

19.1. REGRAS DE PARTICIPAÇÃO NA PROVA

    Todos os elementos credenciados para a prova deverão ser licenciados por uma federação nacional, com exceção dos convidados, membros da comunicação social, membros das forças de segurança e tripulação das ambulâncias, reduzindo ao estritamente necessário o número de elementos em prova; 

    O ato de inscrição e/ou pedido de credenciação para a prova implica por parte de quem o faz, o conhecimento, aceitação expressa e cumprimento dos Regulamentos da UCI e da UVP-FPC, bem como dos Regulamentos Particulares aplicáveis a essa prova;

    Todos os elementos integrantes da prova deverão comprometer-se com o cumprimento das normas de adaptação estabelecidas pelo presente documento, bem como o compromisso de responsabilidade e aceitação sobre as medidas a tomar pelo organizador, tendo por base o Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (RGPD);

    Todos os elementos credenciados para a prova, pertencentes às famílias “ORGANIZAÇÃO”, “EQUIPAS”, “COMUNICAÇÃO SOCIAL”, deverão assinar o termo de responsabilidade que consta no anexo 1, da orientação DGS 36/2020, publicada a 25/08/2020;

    No decorrer da competição, todos os elementos credenciados para a prova deverão respeitar as normas de higiene respiratória e distanciamento social consignadas pela DGS;

    Em todos os atos protocolares ou regulamentares que decorrem antes ou depois da prova, deverão igualmente ser respeitados todos os procedimentos de higiene e segurança sanitária consignados no presente documento;

    Preconiza-se o uso obrigatório de máscara de proteção nos locais com acesso reservado a credenciados (Zona 0 e Zona 1);

    As máscaras de proteção autorizadas cingem-se apenas às máscaras cirúrgicas certificadas e validadas pelo Infarmed ou em alternativa será aceite o uso de máscaras comunitárias testadas e certificadas pelo Centro Tecnológico das Indústrias do Têxtil e do Vestuário (CITEVE);

    Os elementos credenciados para a prova deverão fazer-se acompanhar dos seus equipamentos de proteção individual para o exercício das suas funções.

    Todos os equipamentos fornecidos pelo organizador deverão ser alvo de higienização com solução aquosa de base alcoólica a 70% (SABA) antes e após a sua utilização.

    A entrada em Portugal de elementos credenciados no evento será regulada segundo a legislação nacional aplicável à data do evento;

 

    Cumprimento de plano de testagem para o SARS-Cov-2 determinado pela UVP-Federação        Portuguesa de Ciclismo para todos os elementos das equipas desportivas participantes no evento, que consiste em apresentar um teste Antigénio SARS-Cov-2 (deverá ser feito 24H) antes do início da prova;

    Cumprimento de plano de testagem para SARS-Cov-2 para todos os elementos credenciados Zona 0, que consiste em apresentar teste de negatividade para SARS-Cov-2, teste Antigénio SARS-Cov-2 no primeiro dia de competição;

    As equipas, assim como, os elementos credenciados para a Zona 0 (zona de contenção sanitária da prova) deverão ser tratadas e proceder como “coorte”, facilitando a tomada de decisão médico-sanitária e de saúde pública em eventual caso suspeito/positivo no decorrer da competição;

    Às equipas oriundas do estrangeiro serão aplicadas as mesmas medidas que as equipas portuguesas;

    Não será permitida a participação desportiva ou acompanhamento da equipa no evento de atletas ou agentes desportivos com casos suspeitos ou confirmados de COVID-19;

    Além da limitação de atletas participantes na prova, existirá também uma limitação no número de membros do staff de cada equipa num limite máximo de 7 pessoas credenciadas para a Zona 0;

    É obrigatório que as equipas se façam acompanhar pelo seu médico responsável, sendo este elemento contabilizado além dos elementos de staff estabelecidos como máximo obrigatório para o acesso à Zona 0;

    É da responsabilidade da equipa, fazer prova de negatividade por laboratório certificado para a testagem de SARS-Cov-2, sendo obrigatório o envio desta informação para o médico coordenador do evento no sentido de validar a participação na prova;

     Quando aplicável, deverão ser cumpridas as determinações em Despacho nº3894-A/2021 publicado a 17/04/2021 que remete à Orientação DGS 004/2021 publicada a 09/04/2021 que preconiza as medidas de comportamento para atletas e suas equipas oriundos de Países com incidência de casos COVID-19 superior a 500 por 100 000 habitantes, de forma a serem dispensados de regime de quarentena obrigatória de 14 dias.

 

19.2. DIREITO DE CREDENCIAÇÃO

    Descreve-se neste ponto quais os indivíduos com direito a credenciação no evento;

    Elementos pertencentes às seguintes famílias: “Organização”, “Equipas”; “Comunicação Social”; “Convidados”; “Patrocinadores”;

    Serão diferenciadas da “coorte”, subfamílias com funções específicas em áreas distintas da organização: Zona 0 /Zona 1;

    Os credenciados “Zona 0” serão todos e quaisquer indivíduos pertencentes às equipas de competição, forças de segurança, órgãos de comunicação social e aos elementos com funções técnicas na prova;

    Os credenciados “Zona 1” serão todos e quaisquer indivíduos pertencentes ao staff de logística, à comunicação social, patrocinadores e convidados;

    Os veículos integrantes da caravana desportiva serão credenciados de forma diferenciada por “veículos de Zona 0” e “Veículos de Zona 1”. Esta divisão será efetuada pelo organizador, tendo por base a diferenciação de tarefas a cumprir no decorrer da prova.

    O direito de acesso dos veículos credenciados à Zona 0 e à caravana da prova está reservado ao mínimo estritamente necessário para o desempenho das funções técnicas da prova.

    Estabelece-se que o acesso dos veículos de assistência das equipas à Zona 0 só é permitido a 3 viaturas por equipa para as etapas em linha e a 4 viaturas por equipa para o contrarrelógio.

 

 

19.3. NORMAS DE PERMANÊNCIA PARA ELEMENTOS CREDENCIADOS PARA A ZONA 0

    Apenas deverão ser credenciados para permanecer na Zona 0, indivíduos essenciais ao funcionamento logístico e desportivo do evento;

    Todos os indivíduos deverão tomar conhecimento e consentir com as regras estabelecidas pela organização e o médico coordenador da prova;

    Será fortemente recomendável que todos os credenciados para a Zona 0 instalem no seu dispositivo móvel a aplicação stayawaycovid de forma a limitar contatos e facilitar o estudo de epidemiologicamente feito pelas autoridades de saúde;

    Apenas serão credenciados para a Zona 0, elementos com permanência ininterrupta nos vários dias da prova;

    Deverão apresentar-se diariamente no PPO – P1 para submissão de avaliação sanitária (inquérito de sintomas e medição de temperatura);

    O uso de máscara de proteção é obrigatória e compulsiva em todos os espaços da Zona 0 (mesmo ao ar livre). Estas regras apenas se excluem atletas em fase de warm up e cool down de exercício (deslocação de atletas em bicicleta no espaço da Zona 0 é obrigatório o uso de máscara de proteção);

    Proibido contato de alto risco com terceiros (contato com pessoas da Zona 0). Definição de contato de alto risco definida pela orientação 02a/2020 DGS (sem máscara,  contato de proximidade > 15 minutos,  permanência a < 2mestros de distanciamento, contato físico);

    Proibido contato de alto risco (definido anteriormente) + convivência/coabitação/partilha de objetos/partilha de momento de refeição com terceiros (pessoas credenciadas para Zona 1 e público);

    Proibida a entrada na Zona 1 e zona de público;

    É fortemente recomendável a utilização de alojamento e refeições em unidades hoteleiras controladas pela organização ou em estabelecimentos em que estejam implementadas as normas de alojamento e práticas a ter em conta pelas unidades hoteleiras das equipas e organização.

    O não cumprimento destes pressupostos levará à expulsão imediata da Zona 0 (independentemente das suas funções organizacionais da prova).

 

 

19.4. PARTIDA DA PROVA

    Na partida da prova, o acesso a todos os espaços técnicos incluídos na Zona 0 deverá ser exclusivamente reservado às pessoas imprescindíveis para a realização do evento devidamente credenciadas; 

    Haverá um único ponto de acesso ao evento: o PPO que deverá estar instalado na entrada da Zona 0 e Zona 1;

    Haverá um posto de controlo sanitário à entrada do PPO que controlará todos os elementos autorizados e devidamente credenciados no evento. As indicações específicas e localização serão definidas no regulamento particular da prova;

    Os técnicos da instalação dos rádios nos veículos da caravana deverão além de máscara de proteção, usar luvas bem como higienizar os equipamentos antes da sua instalação e após a sua desinstalação, de acordo com a Orientação nº 014/2020 de 21/03/2020 da DGS.

    Todos os procedimentos preparatórios para a competição por parte dos atletas deverão ser realizados dentro da Zona 0;

    Existirá um corredor de acesso da Box das Equipas para a Box de Partida a fim de permitir um acesso rápido e sem paragens; 

    Os veículos que não têm direito a circular na caravana da prova deverão deslocar-se diretamente da respetiva zona da partida para a da chegada.

 

ETAPAS EM CONTRARRELÓGIO 

 

    O reconhecimento do percurso deverá ser realizado por cada atleta de forma individual em horário previsto pela Organização;

    A Box de Partida será composta pela área de controlo das bicicletas, área de espera dos atletas e rampa de partida;

    Será recomendada a presença de um elemento do staff da equipa na Box de Partida, tendo em conta ser este o único elemento a poder prestar assistência aos atletas da sua equipa; contudo esta presença estará limitada a apenas um elemento por equipa;

    Será realizado apenas o controlo oficial das bicicletas (15 minutos antes da partida de cada atleta), este procedimento será efetuado por um único comissário, o qual terá que respeitar um intervalo entre atletas para higienizar as mãos e o gabarito; o próprio atleta ou o seu mecânico deverá igualmente higienizar a bicicleta antes de a entregar ao comissário;

    Na área de espera para a partida, estarão presentes em cada momento cinco atletas no caso do CRI, segundo a ordem de partida; as cadeiras deverão ser higienizadas antes e após a sua utilização por cada atleta;

    Na rampa de partida apenas será autorizada a permanência do atleta e do comissário juiz de partida, respeitando as regras de distanciamento social, sem existir contacto físico entre eles em nenhuma situação; a exceção será a pessoa que sustem os corredores, a qual deverá higienizar as mãos entre corredores e usar viseira de proteção além da máscara de proteção.

 

ETAPAS EM LINHA

 

    A Box de Partida será composta pela área de apresentação das equipas e área de concentração para a partida;

    Caso se realize a apresentação de equipas, a mesma deverá ser organizada com horários por equipa pré-definidos. O organizador deverá delimitar na estrutura do palco, o espaço reservado para cada atleta de forma a respeitar as normas de distanciamento social; O uso de máscara de proteção é obrigatório.

    Alteração regulamentar: a assinatura da folha de partida não será realizada, a confirmação de alinhar à partida será validada através de verificação visual por um comissário;

    Será criado um ponto de acesso à Box de Partida, de passagem obrigatória por parte dos atletas, para que os comissários possam controlar a presença de todos, local este onde deverá ser feito o descarte das máscaras de proteção;  

    Os atletas deverão proceder à desinfeção das mãos após o descarte da máscara, devendo apenas colocar as luvas desportivas de proteção após se encontrarem alinhados para a partida;  

    A Box de Partida deverá ter dimensão suficiente para que os atletas no momento que antecede a partida consigam respeitar as regras de distanciamento social (2m2 por atleta);

    A partida das provas deverá ser sempre simbólica do local de concentração e a quilometragem até ao local da partida real deverá ser suficientemente longa para permitir um aquecimento mais efetivo dos atletas.

 

 

19.5. DESENROLAR DA PROVA

    Estará prevista pelo organizador uma redução do número de viaturas autorizadas em prova ao mínimo indispensável. Será obrigatória a ocupação máxima de 2 pessoas por viatura na caravana, com exceção do carro do presidente do colégio de comissários, do médico, das ambulâncias e os carros de apoio das equipas que podem circular com um máximo de 3 pessoas; 

    Todos os motards deverão utilizar capacete integral sem necessidade de utilização de máscara de proteção de forma a evitar riscos de condução do veículo. Os passageiros deverão utilizar máscara de proteção;

    Os comissários que exercem as suas funções em carro com tecto de abrir e o comissário juiz de partida deverão usar óculos de proteção além da máscara, os comissários moto deverão usar máscara de proteção;

    Os mecânicos de apoio neutro deverão usar luvas e óculos de proteção além da máscara de proteção; 

    A viatura técnica “carro vassoura” será equiparada a uma viatura de transporte coletivo comunitário. Deste modo, a organização fará cumprir as medidas de proteção sanitária descritas na Orientação nº 027/2020 de 20/05/2020  atualizada a 20/07/2020 da DGS.

 

ETAPAS EM CONTRARRELÓGIO

 

    Não será autorizado descartar os bidons ou qualquer tipo de resíduo;

 

ETAPAS EM LINHA

 

•    É responsabilidade das equipas a escolha dos locais onde dão o abastecimento apeado aos seus corredores (de acordo com a regulamentação aplicável), deverão ser locais sem público e não será permitida a distribuição de brindes. Os elementos do staff das equipas estão obrigados ao uso de máscara de proteção em todas as circunstâncias;

•    Alteração regulamentar: passa a ser proibida a partilha de alimentos, bebidas ou qualquer acessório entre atletas de equipas diferentes, assim como por parte de um elemento do staff de uma equipa a um atleta de outra equipa. Um membro do staff de uma equipa apenas pode dar assistência de qualquer tipo a um atleta da sua própria equipa; 

•    O descarte de bidons e resíduos só é permitido nas zonas de descarte ou entregues ao carro de apoio respetivo ou ao apoio neutro.

 

 

19.6. CHEGADA DA PROVA

    Na chegada da prova, o acesso a todos os espaços técnicos incluídos na Zona 0 e Zona 1 deverá ser exclusivamente reservado às pessoas imprescindíveis para a realização do evento, devidamente credenciadas; 

    Os elementos credenciados, que se desloquem na caravana da corrida oriundos da partida, que previamente tenham sido alvo de validação sanitária, não necessitarão de efetuar nova avaliação para o acesso à Zona 0 e Zona 1; 

    Apenas os elementos credenciados que se apresentam exclusivamente à chegada deverão ser alvo de controlo sanitário em zona consignada para o efeito – P1 de chegada de Zona 0 ou Zona 1; 

    O procedimento de controlo sanitário para os elementos credenciados será o mesmo efetuado à partida;

    A Box de Chegada será composta pelo espaço que inclui a linha de chegada, a zona de desaceleração dos atletas, a zona marcada para fotógrafos/cameramen e a zona marcada para os elementos do staff das equipas;

    Na Box de Chegada apenas será permitida a permanência de dois elementos do staff por cada equipa para rececionar os seus atletas e acompanhá-los ao pódio (identificados com braçadeiras);

    Deverá existir um corredor de acesso para encaminhar os atletas da Box de Chegada para a Box das Equipas o mais rapidamente possível e sem paragens, a descompressão deverá ser realizada já na Box das Equipas;

    Os atletas que tenham que se submeter ao controlo antidopagem no final da prova seguirão as instruções recebidas da ADoP e sendo estas antecipadamente informadas por via eletrónica;

    Nas cerimónias protocolares as individualidades convidadas poderão estar no pódio junto dos atletas respeitando as normas de distanciamento social. Não poderão existir cumprimentos físicos; 

    Os atletas sobem ao pódio já com as respetivas camisolas de líder vestidas e com os restantes troféus/flores transportados pelos próprios; 

    A classificação rápida da etapa será disponibilizada de forma digital na página oficial do evento;

    O momento fotográfico dos vencedores deverá respeitar as regras de distanciamento social, não poderão existir cumprimentos físicos entre atletas ou com as individualidades nem será realizada a cerimónia do espumante. Será excecionalmente autorizado aos atletas, que estes retirem a máscara de proteção para o momento da fotografia;

    Os banhos após o exercício desportivo em prova competitiva deverão ser realizados o mais brevemente possível após o término da competição. Caso as equipas não tenham meios próprios para os banhos, a organização deverá providenciar instalações devidamente condicionadas para o efeito. Sendo que as mesmas deverão obedecer a critérios de distanciamento social em que haja obediência de 3m2 por atleta.  

    Na área para elaboração das classificações permanecerão apenas o técnico das classificações e o comissário juiz de chegada.

 

ETAPAS EM CONTRARRELÓGIO

 

    O hot-seat deverá ser construído em material facilmente higienizável e a sua limpeza deverá ser realizada sempre que mude o atleta que o ocupa.

 

19.7. COMUNICAÇÃO SOCIAL NO EVENTO

    Os órgãos de comunicação social devem remeter os pedidos de acreditação dos seus representantes para ciclismo@podi1.com até às 24h00 do dia 5 de julho de 2021;

    O pedido de acreditação deverá ser feito através do formulário próprio, devendo ser acompanhado de cópia de título profissional habilitante para exercício de funções em corridas sob a égide da União Ciclista Internacional, bem como do documento de consentimento informado devidamente assinado. Deve ser remetido um pedido de acreditação por cada elemento a acreditar para acompanhamento noticioso da corrida, uma vez que os documentos devem ser assinados pelos candidatos a acreditação;

    De acordo com as normas estabelecidas pela UCI no documento “Rules to be applied for the organisation of road cycling competitions in the context of the COVID-19 pandemic”, de 29 de março de 2021, deverão existir fluxos separados para a Comunicação Social, as áreas oficiais e Zona VIP (ponto C-2, página 15), assim como, deverão existir áreas de trabalho diferenciadas com restrições de acesso e que permitam o distanciamento físico para as famílias anteriormente descritas;

•    O organizador providenciará um serviço de gabinete de imprensa da prova, o qual coordenará e prestará apoio aos elementos da comunicação social no desempenho das suas funções;

    O gabinete de imprensa da chegada funcionará num espaço com acesso restrito à comunicação social, respeitando as regras estabelecidas pelo organizador no cumprimento do distanciamento social em recinto fechado descrito: Orientação nº 024/2020 de 08/05/2020 atualizada a 20/07/2020; 

 

REGRAS GERAIS DE COMPORTAMENTOS EM PROVA

•    Todos os profissionais de comunicação social no exercício das suas funções devem usar máscara certificada em todos os momentos do exercício de funções, tanto ao ar livre como em espaços fechados oficiais da prova.

•    O trabalho de reportagem e de entrevista, na zona de partida e de chegada, deve ser efetuado, na Box da Comunicação Social, observando as seguintes regras:

•    As entrevistas devem ser, tanto quanto possível, individuais, admitindo-se o máximo de três órgãos de comunicação social a entrevistar em simultâneo o mesmo interlocutor;

•    Os entrevistados e os entrevistadores, bem como repórteres de imagem, têm de usar máscara certificada e cumprir as regras de higienização e etiqueta respiratória (a ausência do uso da máscara de proteção por parte do entrevistado apenas é permitido em contexto de conferência

de imprensa);

•    Deve ser respeitada distância física entre entrevistadores e entrevistados. Para isso, os aparelhos de recolha de sons (microfone, gravadores, telemóveis, etc) devem ser manuseados com extensor que permita o distanciamento mínimo de 1,5 metros entre entrevistador e entrevistado;

•    As entrevistas devem ser de curta duração, de forma a diminuir o tempo de exposição direta entre jornalistas e ciclistas ou outros elementos da caravana.

•    Na Box de Chegada são unicamente admitidos os repórteres fotográficos, nos locais expressamente indicados para o efeito pela organização. Só são admitidos operadores de câmara da televisão oficial da corrida, nos locais específicos.

•    Os jornalistas acreditados para toda a prova poderão fazer entrevistas na Box da Comunicação Social de chegada. Será dada prioridade à flash interview da televisão oficial, seguindo-se por ordem de prioridade os repórteres que estejam em direto. As regras observadas na zona de partida também terão de ser cumpridas na chegada;

•    As entrevistas presenciais após a etapa só poderão ser feitas na Box da Comunicação Social. Os profissionais de comunicação social que façam entrevistas noutras áreas estão sujeitos à retirada de acreditação e expulsão da corrida.

•    As salas de imprensa funcionarão nos locais e horários a indicar pela organização. Podem aceder à sala de imprensa os jornalistas acreditados para a prova, tendo a obrigação de utilização de máscara durante todo o tempo de permanência dentro do espaço, de respeitar a

distância de segurança face aos outros utilizadores, assim como as normas de etiqueta respiratória e de higienização. Não é permitida a partilha de objetos entre os seus utilizadores. Não é permitido ingerir qualquer alimento dentro do espaço consignado para a sala de imprensa.

•    O envio do pedido de acreditação significa a leitura do regulamento particular da prova e a aceitação de todas as normas nele constantes.

*  Os casos omissos serão decididos individualmente pela organização.

 

 19.8. ALOJAMENTO DAS EQUIPAS E DA ORGANIZAÇÃO

    É responsabilidade das equipas em competição contratar as unidades hoteleiras em que irão ficar instaladas no decorrer da prova;

    As unidades hoteleiras utilizadas pelas equipas em competição deverão obedecer ao cumprimento dos prossupostos definidos pela Direção-Geral da Saúde (DGS): Orientação nº 008/2020 de 10/03/2020;

    As equipas deverão respeitar a regra do menor número de equipas por cada unidade hoteleira, de forma a cumprir as boas práticas associadas ao distanciamento social. Desta forma não será permitida a estadia de mais de 3 equipas na mesma unidade hoteleira;

    As equipas deverão ser separadas fisicamente dentro das unidades hoteleiras, de forma a promover distanciamento social e evitar contactos entre elementos de equipas diferentes e outros hóspedes;

    As equipas deverão elaborar e aplicar um procedimento de boas práticas e autorregulação sobre circuitos/comportamentos a ter por parte dos seus elementos na sua estadia nas diferentes unidades hoteleiras, que passarão por:

-    Separação física entre os elementos das equipas e os restantes hóspedes. Criação de subgrupos dentro da própria equipa (subgrupo1: massagistas + atletas; subgrupo2: mecânicos + diretores desportivos e restante staff), facilitando a tomada de decisão clínica em eventuais contactos de alto risco/casos positivos que venham a ocorrer; 

-    Criação de circuitos distintos entre os subgrupos e os hóspedes, de forma a promover o distanciamento social entre eles (acessos de chegada e saída da unidade hoteleira/ zonas de alimentação/ zonas de convívio/ zonas dos quartos);

-    Distribuição no máximo de duas pessoas da mesma equipa no mesmo quarto, onde deverão estar previstas medidas de afastamento e higienização pessoal entre elas;

-    Designação de um quarto de “isolamento COVID-19”, na eventualidade de ter que se proceder ao isolamento no caso de haver um elemento caso suspeito na equipa;

-    Os massagistas deverão exercer as suas funções em espaços designados para o efeito. As massagens aos atletas deverão ser reduzidas ao mínimo essencial, com o menos tempo de exposição possível entre atleta/massagista. O massagista e o atleta deverão higienizar as mãos antes do procedimento da massagem, assim como proceder ao uso de máscara de proteção durante todo o tempo de exposição. É mandatória a higienização prévia e posterior ao episódio de massagem de todos os matérias em contacto com os atletas;

-    Desfasamento dos horários de refeição entre as equipas e os subgrupos das próprias equipas. No momento da refeição, esta deverá obedecer a um sistema de buffet, em que os utilizadores deverão proceder à desinfeção das mãos sempre que se servem ou tem contacto com utensílios de utilização comum. O uso de máscara é obrigatório nos momentos em que os elementos da equipa não se estão a alimentar; 

-    Os mecânicos deverão ter zona específica, preferencialmente ao ar livre com distanciamento social entre eles para o exercício das suas funções;

-    Todos os elementos deverão usar máscara de proteção nos espaços comuns da unidade hoteleira.

    A organização terá a capacidade de fiscalizar o cumprimento destas normas por parte das equipas, sendo tomadas medidas sancionatórias definidas em regulamento, caso estas não estejam a ser praticadas. 

 

 19.9. MEDIDAS SANCIONATÓRIAS SOBRE O INCUMPRIMENTO ÀS MEDIDAS DE EXCEÇÃO DO PRESENTE DOCUMENTO

    Todos os elementos credenciados para a prova estão sujeitos ao cumprimento da legislação estabelecida a nível governamental para o respeito das práticas de saúde estabelecidas pela DGS e respetivas medidas sancionatórias;

    Não obstante as sanções previstas nos Regulamentos aplicáveis a este tipo de prova, a infração ou incumprimento das normas de exceção definidas pelo presente Regulamento serão alvo de sanções por parte da Organização da prova/Task Force UVP-FPC COVID-19 ou do Colégio de Comissários, consoante a natureza da mesma, e que poderão ir desde a advertência oficial até à expulsão da prova em questão e/ou das provas seguintes a realizar, tendo em conta a gravidade da infração, o facto de a mesma ser cometida de forma continuada e repetida, e ainda as circunstâncias atenuantes e agravantes da situação.